A atividade artística portuguesa foi sempre pautada por um forte dinamismo e, não raras vezes, por momentos de acesa polémica, protagonizados por alguns dos nossos maiores artistas, desde escritores a arquitetos. O período contemporâneo não deixou esmorecer a criatividade dos portugueses, entre os quais contamos nomes sonantes em todas as formas de expressão artística. Vejamos quem são alguns dos nossos notáveis:

Arquitetura

  • Siza Vieira (1933): Natural de Matosinhos, é um arquiteto bastante consagrado, internacionalmente, vencedor de vários prémios. Formou-se em 1955, na Escola Superior de Belas Artes do Porto, onde também lecionou. Com uma linguagem arquitetónica original, influenciada por Frank Lloyd Wright e Le Corbusier, assinou obras emblemáticas, como a Casa de Chá da Boavista, a igreja de Marco de Canaveses e o Museu de Serralves.

Cinema

  • manoel-de-oliveiraManoel de Oliveira (1908-2015): Natural do Porto, frequentou a Escola de Atores de Cinema, tendo, pouco depois, começado a filmar, naquele que foi o início de uma extensa obra, marcada por uma encenação meticulosa. Consagrou-se internacionalmente nos anos 60 e recebeu, em 1995, o Prémio Carreira, atribuído pela Sociedade Portuguesa de Autores.

Literatura

  • José Saramago (1922-2010): Escritor português, natural da região do Ribatejo. Concluiu os estudos secundários em Lisboa, tendo desempenhado diversas profissões ao longo a vida, em que se contam colaborações com várias revistas e jornais. Nos últimos anos, graças à sua consagração como escritor e romancista, passou a viver exclusivamente do seu trabalho literário, com o qual arrecadou o Prémio Nobel da Literatura.

Música

  • Madredeus: Em atividade desde 1985, é um dos grupos portugueses com maior projeção mundial, combinando influências da música tradicional portuguesa, da música popular contemporânea e da música erudita. Teresa Salgueiro foi a sua vocalista até 2007.

Pintura

  • Maria Helena Vieira da Silva (1908-1992): Considerada uma das mais destacadas pintoras europeias da segunda metade do século XX, nasceu em Lisboa, tendo desde cedo manifestado interesse pela pintura. Viveu em Paris, onde estudou a arte, vindo mais tarde a naturalizar-se francesa. Foi-lhe atribuído o Grande Prémio da Bienal de S. Paulo, em 1962, e o Grande Prémio Nacional das Artes, no ano seguinte, em Paris.