portuguese-tiles-years-of-evolution-architectural-and-culturalEm Portugal, arte e arquitetura entrecruzam-se e inspiram-se mutuamente, ou não fosse este um país onde se cozinharam influências de diferentes civilizações, que conferiram à cultura nacional o colorido que lhe é característico. A arte da azulejaria, concretamente, é uma atividade secular que reflete a combinação de tendências autóctones com as influências de invasores estrangeiros. A relação de Portugal com os diferentes conquistadores, secundada pela sua própria ação colonizadora, na época da expansão ultramarina, dotou a cultura deste país com um prestígio hoje amplamente reconhecido, em âmbito internacional, que se estende à azulejaria.

Os azulejos são materiais utilizados na arquitetura portuguesa há muitos anos, encontrando-se espalhados pelo país inteiro. Além de serem aplicados dentro de casa, são também utilizados como revestimento de diferentes tipos de construções – é o caso de igrejas e calçadas. O que distingue os azulejos portugueses de outros artigos semelhantes são os seus padrões em azul e branco, que se disseminaram pela Europa, tendo-se tornado sinónimo de sofisticação e elegância. Além disso, existe uma outra particularidade dos azulejos portugueses: tal como acontecia na tradição italiana em que se inspiraram, eles são pintados à mão, o que torna o seu estilo bastante diverso e permeável ao talento de cada artista.

Hoje em dia, os azulejos são considerados uma parte importante da cultura portuguesa, tal como da arquitetura e da própria sociedade. Nas várias regiões do país encontram-se diferentes variedades de azulejos, tais como os de alicatado, aresta, corda-seca e majólica.

Mesmo que a azulejaria não tenha nascido em Portugal, a população incorporou-a na sua própria cultura e tradições, o que lhes granjeou fama mundial. De certa forma, os azulejos portugueses codificam anos de desenvolvimento arquitetónico e cultural.

Quem desejar saber mais sobre o tema não deve perder a visita ao Museu Nacional do Azulejo, localizado em Lisboa, ou à sua página web, disponível em http://www.museudoazulejo.pt/.