A arte urbana faz parte da cultura portuguesa desde a Revolução de 1974, data que marcou o início de um culto galopante. Lisboa é a cidade onde mais se evidencia, sendo mesmo considerada um dos epicentros europeus do movimento. A Câmara Municipal reconheceu há muito os atrativos e o serviço prestado pela boa arte de rua, pelo que permitiu a sua prática, o que renovou o entusiasmo dos artistas a ela consagrados. De entre eles, destacamos:

  • akacorleone-1985-peter-campicheAkacorleone (1985): Pedro Campiche, também conhecido como Akacorleone, é um aclamado ilustrador e artista de instalações e grafitis, combinando, nas suas obras, diferentes técnicas e meios. Trabalhando sobretudo com a escultura, Akacorleone joga com as cores, as dimensões, a profundidade e a perspetiva, de modo a criar efeitos ilusórios.
  • Daniel Eime (1986): Pintor, artista de rua e “designer” português, internacionalmente conhecido pelos portentosos murais. Os seus trabalhos em estêncil são de um forte realismo, apresentando personagens intrigantes e de olhar enigmático.
  • Kruella D’Enfer (1988): Ângela Ferreira é uma artista visual de “mixed media” bastante talentosa, reconhecida pela imagética etérica que consegue criar, para o que se serve de pincéis, canetas, marcadores e tintas em “spray”.
  • +MAISMENOS+ (1981): Miguel Januário é um artista lisboeta que ficou internacionalmente conhecido pelo projeto de arte urbana intitulado +MAISMENOS+, em que apresenta uma perspetiva crítica das instituições políticas e económicas que governam as modernas sociedades urbanas.
  • Paulo Arraiano (1977): Também conhecido como YUP, é um ilustrador, “designer” gráfico e artista urbano, célebre pelos seus murais multidimensionais e pelas pinturas de abstrações coloridas, que exploram a ambivalência entre a natureza e a cultura urbana.
  • Gonçalo MAR (1974): É hoje um dos mais bem sucedidos artistas portugueses, cujos murais tiveram um impacto significativo no movimento da arte de rua.
  • Odeith (1976): É conhecido pela arte anafórmica e pelos grafitis de ilusão ótica, com letras a três dimensões.
  • Vhils (1987): Excecional artista urbano, Alexandre Farto ganhou destaque quando criou um mural, agora famoso, num festival londrino, organizado por Banksy.

Além dos oito apresentados, por uma questão de limitação de espaço, mencionamos o nome dos dois artistas em falta: Pantonio e Smart B.