national-museum-of-contemporary-art-chiadoLonge vão os tempos em que Lisboa era uma capital “pequena”, num país “periférico”, afastada das principais correntes estéticas e culturais da Europa ou do Ocidente, a par com o atraso económico do país. Portugal continua a sofrer de limitações ao nível macroeconómico, mas o mundo mudou radicalmente, e a posição de Lisboa também. É difícil falar em “periferia cultural da Europa” quando a Europa já não é o centro do mundo; entretanto, Lisboa abriu-se ao resto do planeta, numa tendência que, pode dizer-se, começou na década de 90, teve o seu corolário com a Expo98, e não mais abrandou desde então.

A presença de artistas e o desenvolvimento do gosto cultural acompanhou esta tendência, e com isso é possível enumerar pelos menos 10 museus e galerias de arte contemporânea, em Lisboa, de nível internacional. A proeminência do Museu Coleção Berardo deve-se tanto ao seu efetivo valor como ao seu passado mediatismo, dado o prolongado processo de negociação entre Joe Berardo e o Estado Português, bem como à própria figura pública de Berardo, enquanto “milionário excêntrico”. No entanto, há vários outros locais onde é possível apreciar a melhorar e mais arrojada arte contemporânea em Lisboa:

  • Museu Coleção Berardo
  • Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado
  • Cristina Guerra Contemporary Art
  • Carlos Carvalho Arte Contemporânea
  • Trema Arte Contemporânea
  • Galeria 111
  • Galeria de Arte AFK
  • Alecrim 50 Galeria de Arte
  • São Mamede Galeria de Arte
  • Centro de Arte Moderna

Nesta lista destacam-se alguns exemplos. O Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado foi fundado há mais de 100 anos e possui obras de 1850 em diante; não obstante, inclui também obras atuais, como a “Botânica”, de Vasco Araújo. Na Rua de Santo António à Estrela, a Cristina Guerra Contemporary Art abriu em 2001 e as suas exposições incluem nomes como Lawrence Weiner ou Tatjana Doll. Ali bem perto, no Príncipe Real, o Trema Arte Contemporânea acolhe o surrealismo de Joana Rosa Bragança e os retratos de Paula Damião.