Portugal tem dado um contributo bastante consistente para a cultura global, seja através da sua gastronomia, da literatura, da música ou das artes plásticas. Hoje, há uma nova geração que reinventa o génio de artistas do passado e que vale a pena conhecer, em 10 nomes promissores:

Joana Vasconcelos

joana-vasconcelosCom três representações na Biennale de Veneza e exposições importantes no Palácio de Versailles e na Galeria de Artes de Manchester, é uma das artistas portuguesas contemporâneas com maior projeção. Descontextualiza e subverte objetos do quotidiano, incluindo esculturas, instalações e “performances”.

Paula Rego

Pintora bastante aclamada, nacional e internacionalmente. Os seus quadros baseiam-se frequentemente em narrativas infantis e em contos de fadas, a partir dos quais a autora cria quadros grotescos e surreais, de vocação satírica.

Adriana Molder

Absorve influências do cinema, que transpõe para retratos austeros, em que vemos rostos de personagens captados em momentos importantes de uma narrativa. Os seus retratos evocam filmes a preto e branco, inspirando-se muitos deles em romances do século XIX.

Santiago Ribeiro

Um dos surrealistas portugueses mais ativos. Os seus trabalhos apresentam cenários oníricos, com figuras anónimas que coloca numa atitude de busca contínua.

Jorge Santos

Os seus quadros inscrevem-se na corrente hiper-realista, sendo muitas vezes confundidos com fotografias autênticas. Com fortes conotações sexuais, as cenas representadas criam muitas vezes uma atmosfera de tensão e de claustrofobia.

Catarina Botelho

Licenciada em pintura, dedica-se à fotografia, capturando quadros simples e aparentemente banais do dia a dia, cuja beleza nos convida a apreciar.

Francisco Vidal

As suas obras bebem a influência da ascendência africana (angolana da parte do pai e cabo-verdiana da parte da mãe), explorando os ritmos de uma identidade negra ancestral.

Pedro Cabrita Reis

Um dos artistas portugueses mais proeminentes, trabalha com materiais industriais (barras de metal, iluminação néon e fios elétricos), com que ocupa ostensivamente os espaços de exposição.

Completando a lista dos 10 artistas portugueses contemporâneos que, por limitação de espaço, não podemos apresentar na íntegra, ficam os nomes, e o convite a conhecer as obras, de Vasco Araújo e Carla Filipe.